Bem Estar

Dieta sem feijão aumenta em 20% chances de desenvolvimento de obesidade; diz estudo

Uma nova pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) aponta que deixar de comer feijão está associado ao ganho de peso. O estudo conduzido pela Faculdade de Medicina revelou que pessoas que não consumiram feijão apresentaram 10% mais chances de desenvolver excesso de peso e 20% mais chances de chegar à obesidade.

Por outro lado, o consumo regular de feijão, em cinco ou mais dias da semana, apresentou fator de proteção no desenvolvimento de excesso de peso (14%) e da obesidade (15%).

Para chegar aos resultados, os especialistas coletaram dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). As informações de mais de 500 mil adultos foram acompanhadas entre os anos de 2009 e 2019, por meio de entrevistas por telefone.

Para estabelecer as relações entre alimentação e saúde, os pesquisadores dividiram a frequência de consumo semanal de feijão em indicadores:

Não-consumo (0 dias por semana); baixo consumo (1 a 2 dias por semana); consumo moderado (3 a 4 dias por semana) e consumo regular (5 a 7 dias por semana).

A análise mostrou que ingerir regularmente o alimento é o mais indicado para um bom estado nutricional. Carioquinha, preto, branco, vermelho, verde, de corda: são diversas opções de feijão, que podem ser consumidas de maneiras e preparos diferentes, como feijoada, feijão tropeiro, tutu à mineira ou sopas e caldos.

O grão é rico em ferro, zinco, cálcio e potássio, sendo capaz de combater a anemia e reduzir o colesterol ruim. Além disso, também previne o câncer e melhora a saúde intestinal.

Como todas as demais leguminosas, os feijões são fontes de proteína, fibras e vitaminas do complexo B. O alto teor de fibras e a quantidade moderada de calorias por grama conferem a esses alimentos alto poder de saciedade.

Quando combinado ao arroz, o feijão se reforça como uma fonte de proteína de qualidade. O melhor aproveitamento ocorre a partir do preparo com pouco sal e gordura, e com temperos caseiros como cebola, alho e ervas. Adicionar legumes e verduras no preparo do feijão também pode tornar a refeição mais saborosa e nutritiva.

O Ministério da Saúde recomenda que alimentos in natura ou minimamente processados devem ser consumidos diariamente, incluindo o feijão.

Sobre autor

Nossa Radio USA - News

Nossa Radio USA - News

Add Comentário

Click here to post a comment