Flórida

Departamento de educação da Flórida pune distritos escolares

Distritos escolares da Flórida estão sendo cobrados pelo governo estadual por não cumprirem corretamente medidas de segurança escolar impostas pelo estado.

Cartas enviadas pelo Departamento de Educação da Flórida aos superintendentes nos condados de Broward, Duval, Orange, Miami-Dade e Palm Beach pediram aos líderes distritais que se reunissem com funcionários do departamento para discutir questões de segurança identificadas no relatório de 122 páginas do júri da Flórida divulgado no mês passado.

Embora os resultados dessas visitas não estejam claros, nenhum outro distrito deve enfrentar qualquer ação tão severa quanto o Distrito Escolar de Broward, onde o governador Ron DeSantis em 26 de agosto seguiu a recomendação do grande júri de remover quatro membros do Conselho Escolar que apoiaram o ex-superintendente Robert Runcie, substituindo-os por quatro nomeados que têm ligações com DeSantis e com o Partido Republicano.

O grande júri não fez tais recomendações para quaisquer outros distritos escolares.

O relatório concluiu que o distrito escolar de Broward administrou mal uma fiança de US$ 800 milhões e não conseguiu cumprir os projetos de segurança escolar após o tiroteio em massa em 2018 na Marjory Stoneman Douglas High em Parkland, que resultou na morte de 17 pessoas.

Já o Distrito Escolar de Miami-Dade recebeu na segunda-feira, 5, a carta alegando falhas no cumprimento dos requisitos de segurança escolar do estado. A carta ao superintendente de Miami-Dade, Jose Dotres, disse que o distrito não suspendeu os alunos da escola envolvidos em briga ou ameaça.

O distrito fez uso indevido de colocações alternativas chamadas “Centros de Sucesso” para abrigar esses alunos ou “simplesmente instruiu os alunos a não virem à escola, na tentativa de contornar” a comunicação de suspensões ao estado.

O relatório do júri destacou ainda a discrepância de Miami-Dade em relatar ataques físicos nas escolas. Um ano haveria centenas de brigas e relatos de agressões, enquanto no ano seguinte não haveria incidentes relatados.

Uma série de investigações do South Florida Sun Sentinel em 2018 descobriu como os distritos escolares rotineiramente falhavam em relatar vários crimes, incluindo brigas, incêndios criminosos, sequestro e invasão para crimes sexuais, dando aos pais uma falsa impressão de quão seguros eram os campi de seus filhos.

Já o Distrito Escolar de Miami-Dade recebeu na segunda-feira, 5, a carta alegando falhas no cumprimento dos requisitos de segurança escolar do estado. A carta ao superintendente de Miami-Dade, Jose Dotres, disse que o distrito não suspendeu os alunos da escola envolvidos em briga ou ameaça.

O distrito fez uso indevido de colocações alternativas chamadas “Centros de Sucesso” para abrigar esses alunos ou “simplesmente instruiu os alunos a não virem à escola, na tentativa de contornar” a comunicação de suspensões ao estado.

O relatório do júri destacou ainda a discrepância de Miami-Dade em relatar ataques físicos nas escolas. Um ano haveria centenas de brigas e relatos de agressões, enquanto no ano seguinte não haveria incidentes relatados.

Uma série de investigações do South Florida Sun Sentinel em 2018 descobriu como os distritos escolares rotineiramente falhavam em relatar vários crimes, incluindo brigas, incêndios criminosos, sequestro e invasão para crimes sexuais, dando aos pais uma falsa impressão de quão seguros eram os campi de seus filhos.

Sobre autor

Nossa Radio USA - News

Nossa Radio USA - News

Add Comentário

Click here to post a comment