Imigração

Biden diz que não irá à fronteira dos EUA por que “tem coisas mais importantes”

O presidente Joe Biden disse que não visitará a fronteira com o México durante uma viagem de um dia ao Arizona porque tem “coisas mais importantes” para resolver – apesar do aumento recorde de pessoas entrando ilegalmente no país.

“Por que ir a um estado fronteiriço e não visitar a fronteira?”, indagou um repórter durante uma coletiva no gramado da Casa Branca, pouco antes do presidente partir para o Arizona.

O presidente respondeu: “Porque há coisas mais importantes acontecendo. Eles vão investir bilhões de dólares em um novo empreendimento no estado”. Biden está visitando Phoenix para promover a “Lei CHIPS”, que subsidia empresas de tecnologia dos EUA que fabricam chips de computador no país.

A visita ocorre depois que um recorde histórico de travessias foi alcançado, com mais de 2,3 milhões de imigrantes detidos após cruzar ilegalmente para os EUA no ano fiscal de 2022, que terminou em 30 de setembro.  Os números significam um aumento de 1,7 milhão em relação ao ano fiscal de 2021, menos de 500.000 no ano fiscal de 2020 e quase 1 milhão no ano fiscal de 2019.

Os críticos atribuem a crise da fronteira às políticas de Biden, incluindo o relaxamento de uma política da era Trump de deportar rapidamente os que atravessam a fronteira sob uma regra do CDC relacionada à COVID-19 e também o fim de uma política de exigir que os imigrantes permaneçam no México para aguardar uma decisão judicial sobre seus pedidos de asilo.

Os governadores republicanos Greg Abbott, do Texas, e Ron DeSantis, da Flórida, transportaram milhares de imigrantes da fronteira para regiões controladas por democratas, como New York e Washington, DC, em uma tentativa de pressionar Biden a adotar políticas mais rígidas.

Sobre autor

Nossa Radio USA - News

Nossa Radio USA - News

Add Comentário

Click here to post a comment

EnglishPortuguese