Brasil Destaques

Antes do 7 de Setembro, distância entre Lula e Bolsonaro não muda

Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (7) mostra que Lula manteve 44% de intenções de voto no primeiro turno, enquanto Jair Bolsonaro atingiu 34% – na última pesquisa, de 31 de agosto, o candidato tinha 32% das intenções de voto, oscilação que está dentro da margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em terceiro lugar na disputa eleitoral aparece Ciro Gomes, com 7% de itenções de votos, número estável em relação à pesquisa anterior (8%). Em quarto, aparece Simone Tebet (4%), também estável (antes, eram 3%).
Continua após a publicidade

O número de indecisos flutuou de 6% para 5%, enquanto o de brancos e nulos variou de 5% para 4%. Ambos parmanecem estáveis, considerando a margem de erro.

Lula é o candidato favorito entre moradores do Nordeste (60% das intenções de voto, contra 22% de Bolsonaro), do Centro-Oeste e Norte (42%, contra 35%), das mulheres (45%, contra 30%) e dos católicos (50%, contra 28%).

Já Bolsonaro segue sendo o favorito entre os evangélicos (53% das intenções de voto, contra 26% de Lula) e entre moradores do Sul (42%, contra 36%). Na pesquisa revelada nesta quarta-feira, o candidato do PL ultrapassou o petista entre moradores do Sudeste, embora a diferença esteja dentro da margem de erro (39% para Bolsonaro, 37% para Lula).

Lula é o candidato escolhido por quem ganha menos de dois salários mínimos (51%, contra 26%) e entre dois e cinco salários mínimos (42%, contra 39%). Já Bolsonaro sai na frente entre os que recebem mais de cinco salários mínimos (43%, contra 31%).

Um cenário similar é observado no que diz respeito ao nível de escolaridade. Entre eleitores com ensino fundamental, Lula sai na frente (51%, contra 30%), assim como entre aqueles com ensino médio (43%, contra 36%). Já entre os eleitores com nível superior, Bolsonaro é o preferido (39%, contra 33%).

Caso haja segundo turno, 51% dos entrevistados disseram que votarão em Lula, contra 39% em Bolsonaro. 7% anularão o voto, enquanto 3% estão indecisos.

 

EnglishPortuguese