Imigração

15 estados republicanos pedem para manter regra de imigração na fronteira

Quinze estados republicanos pediram a um juiz federal que mantivesse em vigor uma política da era Covid que permitia às autoridades restringir severamente os requerentes de asilo de cruzar a fronteira para o país depois que o juiz emitiu uma decisão na semana passada que bloqueou a regra. Os estados republicanos disseram que suspender a regra aumentará o fluxo de imigrantes e os “prejudicará diretamente”.

“Como a invalidação das Ordens do Título 42 prejudicará diretamente os Estados, eles agora procuram intervir para oferecer uma defesa da política do Título 42, para que sua validade possa ser resolvida com base no mérito, e não por meio de rendição estratégica”, disseram os estados no processo aberto na segunda-feira.

Eles argumentam que um aumento nos fluxos de migrantes para a fronteira “imporá encargos financeiros aos estados que os hospedam involuntariamente” e que os próprios estados têm “direito a uma solidão especial na análise permanente”.

“Os Estados têm interesses soberanos e quase soberanos no controle de suas fronteiras, limitando as pessoas presentes dentro dessas fronteiras, excluindo pessoas portadoras de doenças transmissíveis e na aplicação da lei de imigração”, disse o documento.

Na semana passada, o juiz distrital dos EUA, Emmet Sullivan, anulou a controversa regra, conhecida como Título 42, que a Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA usou para rechaçar os migrantes na fronteira antes que eles pudessem fazer pedidos de asilo. Sullivan ficou do lado da American Civil Liberties Union e outros defensores da imigração, que argumentam que a regra estava sendo usada mais como uma ferramenta para reforçar a fronteira do que como uma medida de saúde pública.

Sullivan citou a Lei de Procedimentos Administrativos em sua decisão e caracterizou o Título 42 como “arbitrário e caprichoso”. O governo Biden indicou que não se oporá à ordem de Sullivan em um processo judicial na semana passada, mas solicitou um adiamento temporário na suspensão do Título 42.

O Departamento de Segurança Interna solicitou cinco semanas “para se preparar para a transição” para processar todos os migrantes sob as políticas pré-Covid, permitindo que cruzassem a fronteira sul para solicitar asilo. Em seu pedido, Sullivan concedeu o pedido com “grande relutância”. O Título 42 está programado para terminar em 20 de dezembro, entrando em vigor na meia-noite de 21 de dezembro.

Sob a medida, as autoridades expulsaram imigrantes na fronteira EUA-México quase 2,5 milhões de vezes em menos de três anos, de acordo com dados da Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA. E a grande maioria dessas expulsões – mais de 80% – ocorreu durante o governo Biden.

A decisão de Sullivan na semana passada foi emitida meses depois que um juiz federal na Louisiana decidiu a favor de uma tentativa dos mesmos 15 estados – Arizona, Louisiana, Alabama, Alasca, Kansas, Kentucky, Mississippi, Nebraska, Ohio, Oklahoma, Carolina do Sul, Texas, Virgínia, Virgínia Ocidental e Wyoming – para manter a política em vigor.